23 setembro, 2013

A menina que roubava livros - Markus Zusak

Quando a morte conta uma história, você deve parar para ler.







Autor: Markus Zusak
Páginas: 480
Editora: Intrínseca
Ano: 2007


Essa é a história da nossa querida saumensch, digo, Liesel Meminger. Magrela, loira, ariana, uma típica criança alemã, exceto pelo fato de ter pais comunistas em plena Alemanha de Hitler. 

          Narrado pela Morte, o livro “A menina que roubava livros” é emocionante e nos faz refletir diversas vezes sobre a guerra, as pessoas e a vida.

          O livro, diferente de muitos que lemos atualmente, não está focado no romance que existe sim na história, mas no sofrimento que as pessoas mais simples da Alemanha passam nessa época de guerra marcante para o mundo.

          Adotada pela família Hubermann, Liesel viu seu irmão mais novo morrer no colo da mãe biológica. A única ligação com a verdadeira família é um pequeno livro, O Manual do Coveiro, que foi o primeiro de muitos roubos da garota ainda analfabeta.

          A narrativa um pouco mais lenta mostra o dia a dia da menina que deu de cara com a morte três vezes e escapou ilesa de todas, fazendo com que a Própria sentisse-se tão impressionada para que decidisse nos contasse essa história. 

          As maiores diversões de Liesel é aprender a ler com Hans, seu pai adotivo, conversar com Max Vandemburg, o judeu escondido em seu pequeno porão, e fazer travessuras com Rudy Steiner, o namorado que jamais teve.

          E diante dessa realidade violenta da Segunda Guerra Mundial, é preciso aprender a viver um dia de cada vez, esperando que o dia seguinte seja melhor, descobrindo o verdadeiro significado das palavras e transformando-as em esperança

          Infelizmente esse é um daqueles livros que não se pode dizer muito para não soltar spoilers, entretanto serve para anima-los a ler essa brilhante e comovente história. Uma diagramação simples, com capítulos curtos divididos em dez partes. Sabe quando você lê um livro e pensa “Nossa, isso tinha que ser leitura obrigatória!”? Esse é o caso de A menina que roubava livros. Recomendo a todos que querem descobrir mais sobre a vida de Liesel. 
“As palavras sempre ficam. Lembre-se sempre do poder das palavras. Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo”. “Primeiro, as cores. Depois, os humanos. Em geral, é assim que vejo as coisas. Ou, pelo menos, é o que tento”. - A morte 
          A obra já está sendo transformada em filme e tem previsão para chegar nas telonas em 31 de janeiro de 2014. Estou bem ansiosa para vê-lo pronto e descobrir como ficou essa adaptação.


Bianca Silaman:
 “18 anos. Sou atriz, namorada, filha e mãe de uma micro Yorkshire, não necessariamente nessa ordem. Não tenho coordenação motora alguma, mas quero aprender a tocar piano. Meus shows no banho ultimamente tem ficado cada vez melhores."

5 comentários:

  1. Acho que todo mundo na vida leu esse livro, menos eu né? haha
    To curiosa pra ver o filme, vai que eu me interesso e acabe comprando o livro né.
    Beijos!
    http://souseuastral.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que não hein Thamires, eu ainda não li esse livro também, mas ele tá na fila! rs
      Principalmente, porque a Bia parece ter se apaixonado por ele.

      Vanessa B. Freitas

      Excluir
  2. Amei esse livro, fiquei apaixonado pela escrita do Marcus :3

    http://momentoliterario1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Definitivamente eu preciso ler esse livro o mais rápido possível! Amei o post!
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela resenha Bianca! Já li A Menina que Roubava Livros e curti bastante. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir

Deixe sempre seu comentário, dicas e criticas para que possamos melhorar cada vez mais...
Obrigada